quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Heroes - 3x04

É, gurizada.

O "bicho tá pegando" em Heroes.

No episódio "3x04 - I Am Become Death", o panorama não é dos melhores para Peter Petrelli e seus amigos.

Peter e sua "versão do futuro" avançam 4 anos no tempo, apenas para entender que, graças a uma fórmula secreta que é vendida livremente, qualquer um pode obter habilidades especiais.
Este é o começo do fim. Ou não...

Após um ataque-surpresa de Claire, Peter foge (não sem antes entender que deve buscar ajuda com a pessoa mais improvável: Sylar).
Antes disso, Peter procura Mohinder, para tentar entender os poderes de Sylar.
O que ele encontra é um ser desfigurado, transformado em uma criatura diferente (resultado de sua própria fórmula).
Poderá Mohinder evitar de se tornar esta criatura?
Tudo indica que não, teremos que esperar pelos próximos capítulos...


Enquanto isso, Matt Parkman, ainda em seu "retiro espiritual", tem a chance de observar o futuro, no qual Peter é um terrorista e Claire é uma vilã cretina.
Daphne (a velocista, a "nêmesis") vive com Parkman, Molly e um bebê (uma família feliz e cheia de poderes). Molly usa seus poderes para encontrar Peter.

E neste momento, Peter está em Costa Verde, onde finalmente encontra Sylar e faz algumas descobertas surpreendentes. Mais do que isso, Peter deseja as habilidades de Sylar.


E um novo confronto com Claire é inevitável.


Cá entre nós, essa "Claire-vilã" me deu nos nervos. Que maldita.
Ótima atuação de Hayden Panettiere, que me fez detestar a Claire e torcer para que Peter e Sylar a partissem ao meio (sim, ela me fez torcer pelo Sylar).

Alheios a este futuro (será?), Hiro e Ando descobrem que possuem a "chave" para solucionar todo o mistério que os cerca.
E cada vez mais percebemos que Hiro não é nada sem Ando.


E o Nathan, hein?
Que pegador. É uma fanfarrão.
Será que vai pegar a Barbara também?


Mas afinal, quem diabos é Barbara?
Temos revelações sobre o passado de Niki, Tracy e Barbara
Aquela minha teoria da clonagem foi por água abaixo (será mesmo?)...

No final das contas, tivemos um bom episódio, tenso, com bons momentos, que testam a "lealdade" do espectador, assim como dos personagens. Afinal, durante uma boa parte do episódio, torci por Sylar e contra a Claire, por exemplo.

E a "chave" de Hiro no final do episódio reserva mais tensão e a promessa de ótimos episódios.
É esperar para ver.

P.S.: se me perguntarem, a melhor cena deste episódio é aquela de Parkman com a tartaruga. Simples e engraçada, mas com um significado (pelo menos para Parkman).