sábado, 21 de novembro de 2009

Adeus a um pioneiro

Moçada, não vejo a hora deste ano maluco terminar de vez.

Só infortúnios acontecendo, principalmente no que se refere ao mundo das artes.

Portanto, uma notícia da qual só agora tomei conhecimento:

Faleceu no dia 19/11, quinta-feira, o dono do estúdio de dublagens mais famoso do Brasil. Ele mesmo, Herbert Richers.


Nascido em Araraquara-SP, em 11 de março de 1923, Richers viveu boa parte de sua vida no Rio de Janeiro. Fundou a distribuidora de filmes que levava seu nome e que, algum tempo depois, transformou-se naquilo pelo que seria lembrado eternamente: o estúdio de dublagens Herbert Richers, responsável por algumas das dublagens mais clássicas e de melhor qualidade no Brasil.

Quando se ouvia a célebre frase "versão brasileira: Herbert Richers" no início dos filmes, já se sabia de antemão que, pelo menos no tocante à dublagem, a qualidade estava garantida.

Uma lástima.
Mas como diz aquele velho profeta: "enquanto eles vão indo, nós vamos ficando"...
E como diria o meu médico: "se você tem que morrer, morra sorrindo".