quinta-feira, 27 de junho de 2013

MSX - 30 anos

Parece que foi ontem que comemoramos aqui neste blog os 25 anos do MSX, um dos computadores pessoais mais carismáticos já inventados. E parece que foi anteontem que o MSX era a plataforma de jogatina habitual deste que vos escreve.

Pois hoje a maquininha de 8 bits comemora 30 anos. Obviamente o saudosismo maldito bateu forte e resolvi publicar algumas imagens de algumas peças do meu universo MSXzístico.


Começamos então, com a máquina em si, um HotBit HB-8000 comercializado pela Sharp em nosso país. Cercada por um DataCorder Gradiente, para execução de aplicativos e jogos armazenados em fitas cassete, além de um Drive de disquete 5 1/4 DDX. Ainda, algumas fitas cassete produzidas pela Engesoft. E clássicos cartuchos produzidos pela Epcom, com excelentes jogos. Da esquerda para a direita: HERO, Magical Tree (Árvore Mágica), Mole, Bilhar (Konami Billiards), O Tesouro Perdido (The Goonies), Ninja I (Candoo Ninja), Prédio Assombrado (Squish'Em) e Pares (Pairs).


Nem preciso dizer que esse pequeno conjunto mostrado acima (além de diversos outros aplicativos e jogos armazenados em outros tantos disquetes e fitas que não estão na imagem) foram responsáveis por alguns dos melhores momentos de computação e jogatina apreciados por este singelo escriba.

A continuar, temos algumas revistas que tratavam do MSX na época áurea, sendo a CPU MSX e a MSX Micro as duas mais relevantes em minha coleção.


E para encerrar, dois livros com programas para o MSX (na maioria jogos), além do manual do já citado Drive de disquete DDX:


E para constar, embora velhinhos e com aparência desgastada, os dispositivos funcionam perfeitamente, sendo ligados vez que outra para matar a saudade. Realmente, o saudosismo maldito bate forte.

Feliz aniversário, MSX!