segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Educação (homo)sexual?

O vídeo abaixo mostra o deputado federal Jair Bolsonaro discorrendo sobre um "kit anti-homofobia" que será distribuido para crianças de 7 a 12 anos, nas escolas da rede pública, no ano que vem:


Radicalismos e opções sexuais à parte, o deputado está certo no ponto-chave de sua manifestação: a PROMISCUIDADE.

Este país e seu povo já são/estão promíscuos demais, com esta característica sendo exaltada a todo momento, principalmente pelos meios de comunicação.

Apresentar este assunto para CRIANÇAS, ainda mais na forma de um "kit" que releva o comportamento promíscuo e indiscreto, é manifestação séria da inversão de valores a que as CRIANÇAS estão sendo submetidas.

Repito, não estou nem aí para as preferências sexuais das pessoas (cada um no seu quadrado) ou para o latente radicalismo do deputado.

Mas apresentar este "kit-promiscuidade" para CRIANÇAS já é demais.

Por que não gastam essa verba pagando melhores salários aos professores ou equipando as escolas, ao invés de "torrar dinheiro" em material "anti-homofóbico", que no fim das contas acaba parecendo mais propaganda do que material didático?

Viva o Brasil, il, il...