quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Viagem no Tempo e Chaplin

Em um vídeo sobre a estréia do filme "O Circo", presente nos extras do dvd do filme, algum maluco notou a aparição de uma mulher peculiar.

Tudo bem até aí, exceto pelo fato da mulher estar segurando algo próximo ao rosto e falando, o que levantaria suspeitas de estar usando um telefone celular.

Portanto, vamos à "teoria da conspiração":

Ora, sabemos que em 1928 (época do lançamento do filme) sequer sonhávamos com telefones celulares. E Gene Roddenberry (criador de Jornada Nas Estrelas, seriado no qual os personagens usavam o comunicador, que foi uma das bases para a idéia do telefone celular) tinha apenas 7 anos. Portanto, descartamos de vez a existência de qualquer aparelho similar a um celular em 1928.

Porém, contudo, entretanto, todavia...

Resta a alternativa mais plausível, não é mesmo?

Como diria o sábio Sherlock Holmes: "se você eliminar o impossível, o que restar, embora improvável, deve ser a verdade".

Logo, podemos deduzir que a mulher é, sem sombra de dúvida, uma viajante do tempo.

Segue o vídeo:


E então, amiguinhos?

É ou não é uma viajante temporal?

Mas vamos às questões importantes:

- Por que ela está ali?
- O que Chaplin e "O Circo" têm de importante para que a viajante temporal esteja naquele lugar, naquela data?
- Por que ela dá uma "paradinha" diante da câmera?
- Em um dia ensolarado (e provavelmente de calor), por que ela está vestida com roupas grossas e pretas?
- Seria aquele aparelho um "rádio de pilha" (atenção para o fato de que o "rádio de pilha" só foi inventado em 1954)?
- Reparem que ela dá seus passos exatamente sincronizados com o homem à sua frente. Por quê? Ela era da família dos "Sombras"? E o homem à frente? Quem era ele? Seria um "fugitivo temporal"? Seria a mulher uma "Timecop"?
- E aquela pessoa de branco ao fundo, qual o envolvimento dela? Por que a mulher pára de caminhar próximo à pessoa de branco?
- Qual o papel da zebra nesta questão?
- Será que a mulher era mesmo uma mulher?

Bem, na verdade, segundo os arquivos oficiais do "Historical Film & Cinema Preservation Institute", o nome da mulher era Elizabeth Distraggio, uma governanta de uma residência próxima ao cinema onde o filme seria exibido. Na época deste vídeo, tinha 65 anos e havia desenvolvido dificuldades auditivas. Neste vídeo em particular, ela é vista carregando um aparelho auditivo, que já não funcionava tão bem. Assim sendo, ela tenta alcançar o homem à sua frente, pois o mesmo deixara cair sua carteira. Ao perceber que seu aparelho não mais funciona, a mulher pára próximo ao homem de branco e grita para o homem à frente, enquanto admira a zebra.

Está é a realidade dos fatos.

Ou não...